sexta-feira, junho 29, 2007

JUST DO IT !



Trabalho infantil, trabalho sem direitos,

trabalho temporário, precariedade,

exploração, ganância,

globalização, flexisegurança,

insegurança, terrorismo,

autoritarismo, guerra...

Infelizmente são ideias e palavras cada vez mais presentes no nosso dia a dia. Já não há hipótese de esconder a realidade. Ofuscados pelos seus desejos obscenosos senhores do mundo impõem a sua vontade a qualquer preço. Eles controlam governos, esmagam quem interfira na sua lógica de controlo total, invocam o caos para justificarem a sua violência autoritária. São os lobos com pele de cordeiro, engordando os rebanhos para melhor os devorarem, depois. Os seus lacaios de hoje, serão também triturados amanhã, embora vivam embalados nessa vã ilusão que o poder que pensam ter lhes dá. Vejam o exemplo de George Bush, presidente do país com o exército mais poderoso de sempre e que não passa de um testa de ferro das grandes petrolíferas, das empresas de armamento e de outros interesses estratégicos que na sua visão imperialista são os grandes esbanjadores de recursos naturais e responsáveis pela destruição do ecossistema planetário.

À nossa escala mais comezinha, Sócrates, marioneta com tiques autoritários e profundamente demagógico, serve mais o seu governo de incompetentes diplomados, os interesses mais conservadores dos mais conservadores dos nossos interesseiros magnatas. Gente reunida no "Compromisso Portugal", nome pomposo para empresários que estão irremediàvelmente dependentes de capital estranjeiro para aguentarem as suas firmas e amealharem os seus milhões, que pagam ordenados miseráveis a quem para eles trabalha, os dos "offshores", esses paraísos fiscais por onde escoam os seus lucros para não pagarem impostos, os da banca, os patrões de Bagão Félix, cujo código de trabalho este governo adoptou e até se prepara para ultrapassar pela direita e a grande velocidade!

Na 2ª feira passada, recebi um aviso de reunião urgente para a manhã do dia seguinte, na sede da empresa onde trabalho há 20 anos. Por falta de rentabilidade, foi-nos dito, metade dos efectivos seriam dispensados, sendo avisados pelo telefone atá às 15 horas desse dia. Assim aconteceu. Eu fiquei, mas até quando?

Ainda querem tornar mais fácil este cenário? Então deixem-se estar descansados a ver telenovelas e a pensar que só acontece aos outros. Por cada português despedido, Portugal empobrece mais. Para enriquecer meia dúzia de figurões, ficam a perder milhões.

E então?

REDFISH

2 comentários:

Anónimo disse...

Obrigado,pelo excelente texto que não leio nos orgãos de Comun. Social,pq,simplesmente,são da iniciativa privada e logo há 'liberdade de expressão'.

Snowmass disse...

Quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão!Convém não esquecer.
Não sou tão radical, porque muitos fazem tão pouco por si mesmos que ficam à mercê dos poderosos. Não estudam, não discutem, não reunem, não escrevem,..., ficam a ver telelixo ou futeboladas.E gostam! Depois quando têm problemas queixam-se aos que vão puxando a carroça dizendo que são vítimas. E são!Dá que pensar...Até à próxima.