quarta-feira, agosto 15, 2007

0(s) mega centro(s) comercial (ais)


Pega-se numa area de mais de 10000 m2 quadrados, em leiria, que representa cerca de um quinto da area de construção cidadina, e abre-se um concurso publico para "ver" quem vai construir o mega centro; e o que acontece?
Nada!
Os cidadadãos não reagem, não se interrogam, estão-se nas tintas!
O que é muito grave.
Nem tão pouco questionam porque motivo a Camara não lhes liga?
A cidade é nossa ou da Camara?
Então não deveria, antes de mais, ser feito um concurso público, para se "saber"que destino se deveria dar ao local'?
Um jardim? Um museu? uma zona de lazer? uma zona de lazer e um espaço para o desporto?
Sei lá...., mas sei que não termos sido ouvidos é, por principio, mau. È a negação do que deve ser a democracia : participativa e responsável.
A cidade não é deles, é nossa.
Temos que actuar, temos que participar.
Não podemos ficar indiferentes a mais esta destruição do nosso espaço urbano!
Reajam!
Mordaki

3 comentários:

Anónimo disse...

Em terra de cegos quem tem um olho é rei.
Em Leiria, tudo o que não seja snob e dar nas vistas, não motiva os indígenas.
Se os inquirires sobre o aquecimento global, poluição, etc, ficam danados e dizem que tens é inveja do carrão xpto que compraram (mas não pagaram!!). Nunca ouviram falar de Darfur, isso fica muito longe e não interessa nada, o que interessa é onde fica a Kyai e a Stressless e o Fish e outras merdas do género.
Não admira que o PSD ganhe sempre as eleições mesmo só fazendo porcaria há 30 anos

Zé Verde

Snowmass disse...

Se não estou em erro, Eça referiu-se ao viver leiriense e ao seu típico passeio ribeirinho como a "Alamerda!". Hoje, continuamos a passear na "Alamerda" até ao Estádio de futebol, à espera dos tais centro comerciais lamentando o nosso fado, maldizendo, mas subservientes e vaidosos ... deve ser praga da água do rio!

Rendinhas e Veneno disse...

Dou toda a razão ao anónimo que afinal não é anónimo e se chama Zé Verde...há pouco tempo ouvi os comentários de um estrangeiro, escritor, homem do mundo, cultura vasta, sentido de observação apurado, comentava ele que o português quando dá um passo à frente dá logo de seguida dois passos atrás...será que é daí que vem o nome dado na A.R. "passos perdidos"? além disso, dizia, preferimos sempre o teatro à realidade....o mais vale parece-lo que sê-lo...querem gentinha mais parecida com o português típico que o leiriense? Um Big Centro Comercial é sempre uma senhora obra...ao passo que um jardim não é preciso para nada...para quê se estamos rodeados de pinhal? e depois sempre se pode passear ao fim de semana no Centro Comercial, nas lojas iguais a todos os outros centros comerciais e vestirmo-nos "elegantemente" de forma igual, massificada, ao nosso vizinho do lado...comprar um BMW (nem que tenha uns anitos e gaste bué)...fazer umas férias no México, Brasil ou qualquer desses destinos onde se vai para ver portugueses iguaizinhos a nós a estragar a paisagem de terras distantes e exóticas...bem dizia o Lord Byron...os portugueses não merecem Portugal!