quarta-feira, agosto 13, 2008

Se um idiota incomoda muita gente....



Nós na vida aprendemos muito. Aprender com a vida é aquilo que os que estudam chamam a aprendizagem empírica, e é exemplificada de várias formas, todas diferentes, mas no fundo todas iguais. Pode-se aprender errando, ora vejamos, se um inocente na sua primeira aproximação a uma fogueira, porque a acha ( belo trocadilho) bonita vai mexer nas brasas com a mão... aprende, mas aprende mesmo, que não se brinca com o fogo.
A experiência, mãe do empirismo, pode não ser tão traumatizante, mas mais demorada. O camponês sabe, ao fim de anos de labuta, pelo soprar do vento e olhando as nuvens, se vem chuva ou não, e raramente este metereologista caseiro se engana nas previsões.
Todos aprendemos, uns mais depressa que outros, que certas dores na barriga são sinónimo de cagada, e não precisámos de consultar nenhum tratado sobre o assunto, embora eu suponha, dado o que para aí circula, que também os haja.
Ora a experiência ensinou-me que há 3 (três) tipos de pessoas que existem para nos complicar a vida,no mínimo, e em última análise destruir o planeta de todas as formas possíveis. São eles, o idiota, o cretino e o filho da puta.
Eu defendo que não são tipos diferentes, mas que são estadios diferentes de evolução (ou retrocesso,como queiram) da besta humana.
Passo a demonstrar com um exemplo banal e comum, frequente na nossa cidade de Leiria: saímos no nosso carro, à recta, para o emprego, na 1ª viela para onde embicamos para fugir ao transito está um carro/camião/tractor estacionado de portas abertas sem ninguém lá dentro. Apitamos, aflitos, e sai um gajo que nos diz que está a trbalhar. Somos obrigados a explicar que temos pressa, e o gajo, de maus modos e devagarinho, lá tira o carro e estaciona 10 metros à frente onde havia um espacinho. É um típico idiota.
Mas se, o idiota, em vez de tirar o carro, embica e diz que está a trabalhar e que quer que a gente se vá lixar porque tem mais que fazer, e pensa que está cheio de razão e só quando a coisa está já com 30 carros atrás a apitar e com a ameaça de chamar a polícia é que ele resolve tirar o carro, para estacionar noutra rua ao lado, exactamente da mesma forma, aí está o cretino.
Mas se o cretino idiota, além de não tirar o carro, nos insulta e promete porrada, e se nós não nos encolhemos vai buscar uma marreta e dois amigos tão sacanas como ele e passam à acção, aí temos um belo exemplar de filho da puta.
Acho que fui claro.
Estes exemplares de primatas com características humanóides existem em todas as sociedades e em todas as profissões, sexos, religiões e classes sociais, sendo todavia mais comum no macho e mais adaptável a certas profissões ou cargos.

PS- Se percebeu preencha os espaços na seguinte frase:
A escolha do vídeo do ----- -- ---- Bush com a magnífica canção do grande FranK Zappa não foi aleatória.


Redfish

2 comentários:

Leiria em Cuecas disse...

Um dos locais com mais hipótese de abrigar destes gajos é o exército, ou os GOE, por exemplo.
Se dermos crédito aos noticiários, tentam-se sempre todas as soluções possíveis e só em última análise se avança para a violência: ou seja, tenta-se usar o humanismo, a inteligência, o bom senso, o diálogo, a diplomacia, e só no fim a força bruta, os gajos da porrada, eh!eh!eh!

Rendinhas e Veneno disse...

Pois...deve ser por isso que mataram sem apelo nem agravo um brasileiro que assaltou a Agência Bancária quando muito provavelmente lhe poderiam ter dado um tiro no braço que empunhava a arma (devia ser fácil para quem teve tanta pontaria que lhe deu um tirinho entre os olhos)....também devia ser fácil de identificar o pequeno cigano de 11 anos que acompanhava o pai e o tio num assalto e que morreu baleado pela polícia...excesso de zelo ou limpeza étnica?