quarta-feira, novembro 16, 2005

O Cavaco é de Centro-esquerda !!!!

" O CAVACO É DO CENTRO-ESQUERDA!!!!
A melhor da semana!

E também não é apoiado por nenhum partido!!!

Sèrio e competente (diz o triste do Alegre) !

Sério é : não se ri!

Competente, também : então não engana, tão bem, tanta gente?

E OUVIRAM O NARCISO MIRANDA?= O metro que era para custar mil milhões de contos, já vai, em derrapagem, em dois mil e quinhentos milhões e o Narciso diz porquê: porque a rapaziada de Lisboa, quando são obras no Norte, esmera-se na "fiscalização"!



16 comentários:

Dama Pé de Cabra disse...

Amnésia Colectiva?

Se há precisamente 10 anos Cavaco Silva perdeu as eleições frente a Jorge Sampaio, foi porque felizmente nessa altura os portugueses ainda não sofriam de amnésia colectiva, doença de que parece padecerem hoje em dia....claro que o tempo apaga tudo e as pessoas lembram-se lá das gaffes da esfinge e de tudo o que de negativo ele representava...
O dinheiro das privatizações e os fundos da CEE foram tão bem empregues pelo professor que Portugal rapidamente desceu para o 12º lugar entre os 15 da Europa da altura.
Piorou consideravelmente as relações sociais, ao criar a nova geração de yuppies arrogantes, novos-ricos sem qualquer respeito pelas relações humanas.
Cavaco nao está próximo das pessoas...colocou-se num pedestal de arrogância que só vazio de soluções e ideias, justifica.
Cavaco como Presidente seria uma nódoa: não tem carisma, é antipático, nas reuniões internacionais, é sabido que nunca abre a boca, fora da sua área sabe-se que o professor tem-se revelado de uma falta de cultura geral confrangedora, precisamente aquilo de que ele se arroga na entrevista que passou na televisão, servir de força mobilizadora, catalizadora e conciliadora é precisamente aquilo que dadas as suas características pessoais ele nunca seria capaz de fazer...

Cavaleiro Andante disse...

A amnésia colectiva talvez seja passível de tratamento, talvez um chá de folhas de couve pela manhã, faz bem, refresca a memória. O certo é que se Cavaco não é a resposta ou a solução desejada para um país que está como todos sabem ( toca a tirar a cabeça da areia olhem à volta ), qualquer outro dos candidatos também não será um coelho da cartola. Portanto passe de magia não haverá de certeza. É claro aos olhos de toda a gente que apenas dois dos candidatos que se perfilam na corrida ao podium do dia 22 de Janeiro tem a possibilidade de atingir o successo que todos reclamam. Os outros Jerónimos, Franciscos e afins nesta altura além de saberem antecipadamente que não conseguirão resultados que justifiquem as expectativas que anunciam, utilizam as suas campanhas para tudo menos para servir de força mobilizadora, catalizadora e conciliadora. Cada um tem o seu rei na barriga, e de acordo com os principios democráticos há que os respeitar. No fundo a vontade popular vai ser testada mais uma vez e será a expressão dessa vontade que todos teremos de respeitar e aceitar. É a democracia no seu melhor.

Dama Pé de Cabra disse...

O que ouvi dizer é que o chá de folha de couve faz dormir....em todo o caso quem o disse também não tinha lá muito bom aspecto...
Nenhum tem coelhos na cartola, nenhum é prestidigitador, nenhum é o Houdini ou sequer foi visto em Vilar de Perdizes nos últimos tempos, por isso mesmo devemos ver o que está por detrás de cada um dos candidatos...e o que está por detrás do Cavaco é tão assustador como o que está pela frente.
Ainda não vi o Francisco Louçã com postura de rei na barriga nem a proclamar expectativas que não tem...todos nós sabemos que o povinho português sofre de imbecilidade colectiva e não sabe nem nunca soube o que é melhor para ele...vamos ver o que é a "democracia no seu melhor" de que o cavaleiro andante fala...se não fôr um programa humorístico e se fôr aquilo que eu penso que tu cavaleiro pensas, vou experimentar o meu pé de cabra para outras paragens...espero ter uma boleia na garupa do teu cavalo, isto se não estiveres já reduzido a andar a pé...

Cavaleiro Andante disse...

Quem não vê os políticos com a postura de quem tem o rei na barriga (ou pelo menos deseja-o), será porque anda iludido. Os políticos são assim e não há excepção à regra. Está demonstrado por esse mundo fora, seja qual for o credo que defendam. Proclamar expectativas...alguém que me esclareça: o que andam os políticos a fazer se não isso? Apesar de não achar muito feliz a ideia de sermos chamados de povinho e ainda por cima sofredores de imbecilidade colectiva, não se espera isso de uma Dama mesmo que tenha cascos em vez de delicados pés, a democracia no seu melhor tem vindo a ser vivida dia a dia desde o 25 do 4 de 74. Programa humorístico...pois é todos os dias a toda a hora da direita para a esquerda ou vice versa, escolham, é à vontade do freguês, é só rir. Dificilmente alguém terá oportunidade de me conhecer ao ponto de me adivinhar os pensamentos e muito menos utilizando este meio de comunicação, por isso essa tentativa de arrogar-se no direito, como quem tem uma bola de cristal, de adivinhar o que eu penso, não passa de isso mesmo. Por mim, a Dama a quem também dirijo estas palavras, pode e deve experimentar o seu pé de cabra para outras paragens, e cavalo meu só é montado por uma pessoa.
Já agora...não me parece que este meio de comunicação deva ser utilizado para despiques pessoais, será melhor aproveitado se servir o povinho com o nobre propósito de o tirar da imbecilidade colectiva, mostrando aquilo que se julga ser a verdade, de forma isenta e construtiva. Melhor fez Gil Vicente.

Dama Pé de Cabra disse...

A Arte de bem Cavalgar Toda a Sela

A grande diferença entre nós é que eu, read my lips, apesar de considerar que o povo português sofre de imbecilidade colectiva,ainda acredito que algumas pessoas fazem a diferença...ainda acredito num determinado projecto político ...quanto a ti....o que eu vejo espelhado na tua armadura é somente cepticismo...cepticismo e pessimismo.... Está descansadinho que eu apesar de ter aprendido a arte de cavalgar toda a sela, essa montaria não vou querer!!!prefiro dar cabo dos meus cascos por essas terras do demo mas com esperança e projectos, do que montar, de favor, na garupa de um dos cavaleiros do Apocalipse... quanto ao Gil Vicente ainda viveu no tempo em que os reis não estavam na barriga e em que o povo ainda era mais imbecil do que hoje...terá sido compreendido no seu tempo? não duvido...por alguns iluminados...estou a ver as semelhanças..ele também disparava para todos os lados e não previligiava ninguém nos seus "mimos"....um autêntico democrata

Cavaleiro Andante disse...

Duvidar de promessas feitas, acreditar em promessas que nunca foram feitas, uma espécie do regresso dos que nunca foram. Será isto cepticismo? Esperança nos projectos de minorias elitistas, suportadas por imbecis que nem Gil Vicente conhecem. Os cavaleiros do Apocalipse já eram. Ide por terras do demo (Sócrates?) até que esses cascos vos doa.

Dama Pé de Cabra disse...

Não me parece que a questão estivesse na dúvida mas sim no recusar acreditar, e aí sim podemos falar de cepticismo...realmente não sei a que elite minoritária que desconhece a obra de Gil Vicente te referes, Ó Cavaleiro....em todo o caso, pecado de igual dimensão é não saber quantos cantos têm os Lusíadas, ainda para mais quando se é casado com uma professora de Português (risinhos) esta era mesmo uma directa para aquele que está morto e não sabe.
Os cavaleiros do Apocalipse que anunciam o fim do mundo e os velhos do Restelo sempre hão-de existir...eu por mim prefiro de longe os velhos dos Marretas, pelo menos eram mordazmente divertidos...
E lá vou eu por terras do demo (cracia)a gastar o meu casco por uma boa causa.. e se as coisas derem para o torto, convenhamos que um pé de cabra dá um jeitão do caraças!!!

Cavaleiro Andante disse...

"Quanto mais unificantemente disperso, dispersamente atento"..."mais completo serei pelo espaço inteiro" (Álvaro Campos)

Dama Pé de Cabra disse...

AhAhAh minha gargalhada de desprezo.....essa frase parece-me daquelas frases profundas...tão profundas que a gente fica a pensar nelas e não chega a nenhuma conclusão....sem desprimor para o Fernando Pessoa que muito prezo apesar de ter sido um pessimista inveterado..porque será que me lembrei agora do oposto dele?pois claro o Dr. Mário Soares....um oceano de palavras num deserto de ideias

Cavaleiro Andante disse...

Exemplo puro de desperdício da utilização "doméstica" de um meio de comunicação social, fazendo saltar para a linha da frente o melhor chinelo em desfavor do elitismo cultural, tão amplamente divulgado. O Cavaleiro Andante não aceita este tipo de desafio, pelo que se recusa categoricamente a continuar a cavalgar neste trilho.
Os meus respeitos, minha senhora.

Dama Pé de Cabra disse...

Ok...a conversa fica por aqui, nunca neguei que por trás da Dama está um tremendo pé de chinelo..o que fiz foi aproveitar a oportunidade de fazer uma peixeirada, é terrivelmente terapêutico....e como a cavalo dado não se olha o dente...

Dama Pé de Cabra disse...

Só mais uma coisinha....era só para dizer que após ler o pequeno texto anterior achei que não reflectia o meu estado de espírito nem o estado de espírito que me assistia enquanto divagávamos sobre um tema que já tinha ficado esquecido bem lá para trás....Às vezes entupo as minhas intervenções com piadas inconsequentes, metáforas rebuscadas, digressões gratuitas, de forma que me esqueço completamente do que estava a escrever, e então deito tudo fora e deixo só as piadas...foi mais ou menos o que aconteceu quando o grande tema Cavaco, esse Desconhecido, foi relegado para segundo plano e veio a lume uma troca de palavras pouco construtiva....mea culpa...mea culpa mea massima culpa

Dama Pé de Cabra disse...

A propósito de mais uma morte estúpida no Iraque...é sempre bom lembrar um dos nossos alvos preferidos..refiro-me a Bush, claro....abaixo transcrevo um artigo muito interessante de Dave Zirin, da CBS News
The Nation) This column was written by Dave Zirin.
--------------------------------------------------------------------------------
The presidency of George W. Bush is collapsing under the weight of its own incompetence. The polls speak for themselves — only 35 percent of us approve of his job performance. Fifty-six percent — including one in four Republicans — say the war in Iraq was not worth fighting, and more than half believe Bush intentionally misled the country to bring the United States into war. The response from the White House has been grimly predictable: Admit no mistakes and spin, slash or burn your critics. On Monday Bush seethed, "Only one person manipulated evidence and misled the world &3151 and that person was Saddam Hussein." (Funny, I didn't know we were being "led" by Saddam Hussein.) Bush went on to accuse opponents of rewriting the past. But this Administration, which has redefined the word "Orwellian" for a new generation, respects history about as much as it respects the Geneva Conventions. In fact, they seem to relish assaulting and rewriting history for sheer sport.

This was seen quite clearly on November 9, when Bush hung a medal around the slack, immobile neck of former heavyweight boxing champion — and the most famous war resister in U.S. history — Muhammad Ali. Ali was one of a bevy of recipients of the Presidential Medal of Freedom at a White House ceremony. Bush, while Karl Rove and Donald Rumsfeld chuckled behind him, said, "Only a few athletes are ever known as the greatest in their sport, or in their time. But when you say, 'The Greatest of All Time' is in the room, everyone knows who you mean. It's quite a claim to make, but as Muhammad Ali once said, 'It's not bragging if you can back it up.' And this man backed it up.... The real mystery, I guess, is how he stayed so pretty. [Laughter.] It probably had to do with his beautiful soul. He was a fierce fighter and he's a man of peace."

As I watched a video of the ceremony posted on the White House website, it was heartbreaking to see Bush, a chicken-hearted man of empire, bathe himself in Ali's glow and rhapsodize about "peace." To see the once-indomitable Ali, besieged by Parkinsons and dementia, eyes filmed over, hands shaking, led around by a self-described "war President" felt horrifying.

About the only thing Bush and Ali have in common is that they both moved mountains to stay out of Vietnam. The difference, of course, was while Ali sacrificed his title and risked years in federal prison, Bush joined the country club otherwise known as the Texas National Guard, showing up for duty every time he had a dentist appointment. But the Champ still had one last rope-a-dope up his sleeve. As a playful Bush moved in front of Ali, he apparently thought it would be cute to put up his fists in a boxing stance. Ali leaned back and made a circular motion around his temple, as if the President must be crazy to want to tangle with him even now.

This moment recalled the Ali who was never so beloved, so cuddly, so harmless. This was a fleeting glimpse of the Ali who once was able to say things that would have made John Ashcroft demand a federally funded exorcism. This was the Ali who said, "I ain't no Christian. I can't be when I see all the colored people fighting for forced integration get blown up. They get hit by the stones and chewed by dogs and then these crackers blow up a Negro church.... People are always telling me what a good example I would be if I just wasn't Muslim. I've heard over and over why couldn't I just be more like Joe Louis and Sugar Ray [Robinson]. Well, they are gone and the black man's condition is just the same, ain't it? We're still catching hell."

Back then, Ali could level criticism about an ill-advised, unfair war: "Why should they ask me to put on a uniform and go 10,000 miles from home and drop bombs and bullets on brown people in Vietnam while so-called Negro people in Louisville are treated like dogs and denied simple human rights? No, I'm not going 10,000 miles from home to help murder and burn another poor nation simply to continue the domination of white slave masters of the darker people the world over. This is the day when such evils must come to an end. I have been warned that to take such a stand would cost me millions of dollars. But I have said it once and I will say it again. The real enemy of my people is here. I will not disgrace my religion, my people or myself by becoming a tool to enslave those who are fighting for their own justice, freedom and equality.... If I thought the war was going to bring freedom and equality to 22 million of my people, they wouldn't have to draft me, I'd join tomorrow. I have nothing to lose by standing up for my beliefs. So I'll go to jail, so what? We've been in jail for 400 years."

If Ali had said things like that today about our current war, it would have earned him not not a medal but a one-way trip to Gitmo.

As the great poet Sonia Sanchez remembered Ali's golden era, "It's hard now to relay the emotion of that time. This was still a time when hardly any well-known people were resisting the draft. It was a war that was disproportionately killing young black brothers, and here was this beautiful, funny poetical young man standing up and saying no! Imagine it for a moment! The heavyweight champion, a magical man, taking his fight out of the ring and into the arena of politics and standing firm. The message was sent!"

Perhaps a far more fitting and true tribute to Ali was on display at an antiwar demonstration last month, where an older woman of African descent held up a sign that read simply, "No Iraqi ever left me to die on a roof." This was a direct reference to a quote attributed to Ali that "no Vietnamese ever called me 'nigger.' " Both statements in a few short words encompass both the anger and internationalism so needed today. These are statements not of pacifism but of the struggle to end war. This is the Ali that they can never bury — not even under the pall of devastating illness and a mountain of cheap medals.


By Dave Zirin

REDFISH disse...

Em que raio de Buliqueime lá das Américas é que nasceu o Bush?
E o "little people" dos States é muito parecido com o português no que toca à imbecilidade colectiva. Uma dúvida me toca: será por haver lá tanto emigrante portuga, ou por se ver cá muita trampa americana nas tvs? E quem é o Gil Vicente dos gajos? Cá por mim voto no Frank Zappa.
Outra dúvida: o cavaleiro andante é aquele do Ajax, que lava tudo mais branco? É que parece querer branquear tudo o que o cavacoso candidato de todas as direitas representa!!
E embora o Alegre, alegremente diga que a vitória do fantasma de Buliqueime lhe não tira o sono, eu cá não quero arriscar, e prefiro um Louçã com rei na barriga, que um bacalhau seco com tendências absolutistas e amigos de proveniência duvidosa na Presidência, ou um ancião simpático com muita cultura mas que está mais para curtir a sesta do que para se chatear com estas merdas, ou um poeta que pretende escrever mais uma bela página da nossa história em nome próprio, ou um enérgico e altruista ex-stalinista convertido ao marketing televisivo....

Dama Pé de Cabra disse...

Caríssimo Redfish,
segundo parece ele é originário de Connecticut mas viveu sempre no Texas, o que, convenhamos, é quase a mesma coisa do que ser de Boliqueime, salvaguardadas as devidas diferenças...apesar de tudo o filho do bombista de Boliqueime ainda lhe ganha aos pontos...é que o G. Buch nunca passou de uma reles caricatura do pai e sempre aspirou a igualar-se a ele...enquanto o Cavaco, que eu saiba, nunca aspirou a ser bombista, nem nunca aspirou a ser Presidente... ele que praticamente foi obrigado a tomar esta decisão para "salvar" o país...ele que não passa de um académico, como diz modestamente....ao menos se tivesse aprendido o mester do pai, dava-nos uma morte rápida e indolor!
Que comparação! Gil Vicente com Frank Zappa..não sei se sabes mas o G. Bush é absolutamente louco pelos ZZtop, aqueles barbudos de ar alucinado, estranhamente parecidos com o Bin Laden e que cantam canções hiper foleirosas...às tantas nem nunca ouviu falar de Frank Zappa e venderia a minha alma ao Diabo se sequer imagina quem seja Gil Vicente

REDFISH disse...

Querida Dama não deverias ter revelado o disfarce do rapaz Laden, bolas!! Andou o gajo tantos anos a aprender a tocar viola e agora é uma portuga que lhe estraga a jogada. Mas vá lá, são menos uns a chatear nos tops.