terça-feira, novembro 28, 2006

A Câmara mete água



«Requalificação do Rossio de Leiria com sete concorrentes »



«O projecto para requalificar o Rossio da cidade de Leiria, que criará uma ampla zona com espaços verdes, recebeu sete propostas. À chamada da LeiriaPolis, entidade que lançou o concurso, responderam as empresas Oliveiras, Vibeiras/Mota-Engil, Bosogol/A Encosta/Manuel Gomes António, Alberto Couto Alves, João Cerejo dos Santos, Lena – Engenharia e Construções e Alexandre Barbosa Borges.As propostas variaram entre 1 484 715 euros e 2 825 514 euros, tendo pertencido, respectivamente, à empresa Oliveiras e à Alexandre Barbosa Borges.A obra, que terá um prazo de execução de 150 dias, prevê o alargamento dos espaços verdes da zona, actualmente confinados ao Jardim Luís de Camões, a requalificação do piso e a eliminação do estacionamento naquele local.Paralelamente, o projecto contempla a criação de pequenas áreas multiusos, o reforço da iluminação, a substituição do mobiliário urbano e a mudança de local de algumas estátuas. »

Esta era uma notícia exactamente do dia 30 de Novembro de 2005.
Um ano já passou desde esta data! Como está o nóvel Rossio?
Novos espaços verdes? Aquilo é só calçada!!! E para agravar, com as chuvas dos últimos dias, 2 árvores centenárias, muito desajeitadamente, "suicidaram-se". É uma enorme coincidência que estas árvores que tanta tempestade já aguentaram, tenham sucumbido logo após estas "maravilhosas" obras. Será má língua, ou a queda das ilustres centenárias terá a sua explicação no pequeno pormenor, de que com as obras lhes cortaram as suas também centenárias raízes?
Só perguntando a quem as fez, não é? Duvido no entanto que obtenhamos resposta.
Só uma coisa é certa. Este executivo mete muito mais água do que a chuva, e faz muito pior a Leiria que qualquer tempestade.

Redfish

17 comentários:

Dama Pé de Cabra disse...

QUESTÃO DE ESTÉTICA

Please peixinho...abre os olhos....as alterações feitas foi tudo por uma questão de estética...é sabido que Leiria não deve nada à beleza excepto numa zona....o centro histórico (isto degradações à parte)o centro histórico é a unica parte de Leiria verdadeiramente genuína que a mim particularmente me toca por me fazer lembrar a parte velha da minha Lisboa (igualmente degradada por sinal)à volta temos o caos da construção com edifícios de todos os géneros em que predomina, como dominante, o mau gosto do azulejo, os leões de pedra e mais um sem número de detalhes que não deixam de me assombrar...dizia eu que a Presidente da Câmara, pensou...pensou....e achou que por uma questão de gosto e sobretudo coerência, seria necessário transformar o centro mais de acordo com o resto de Leiria...deixa-se apenas a colina à volta do Castelo intacta para cobrar bilhetes à entrada como ruínas pré-históricas....e se bem o pensou, melhor o fez...toca de cobrir as escassas zonas verdes com pedra e deixar uns raquíticos canteiros (que neste momento apenas têm terra amontoada dentro)basta olhar para a dita senhora para ver que se trata de pessoa com gosto refinado....era de prever que a única decisão plausível fosse fazer a zona do jardim Luís de Camões "en pendant" com o resto de Leiria...um verdadeiro monumento ao mau gosto...se Camões fosse vivo certamente não deixaria os seus crédito por mãos alheias...só espero que juntos possamos pôr em prática as suas plavras
"Cantando, espalharei por toda a parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte. "

Anónimo disse...

É triste o que lá fizeram. Querem fazer zonas pedonais e não tem lá nada que atraia os peões. E nem a calçada bem nivelada conseguem colocar, como aliás na Av.dos Combatentes da Grande Guerra. No outro dia fui à Pia do Urso em São Mamede e fiquei espantado com a qualidade do assentamento da calçada. Será que em Leiria não conseguem fazer igual???

Já agora, alguém concorda com a localização do futuro Centro Comercial? A mim faz-me confusão que a Camara se substitua aos privados naquilo que deveria ser uma iniciativa privada. Para mim, tirar a Cerâmica da cidade era melhor. Os terrenos junto ao estádio sempre foram zona desportiva, mas agora que a camara quer resolver os problemas financeiros e do topo norte do estádio já vai deixar de ser. E não me venham com estudos de pseudo intelectuais que nem de Leiria são e não conehcem o pensar dos Leirienses, que ali é a melhor localização para o impacto do comercio tradicional ser menor. (só se for o comercio do estacionamento pago, pois assim acabam com mais um gratuíto.) Mas alguém vai a pé para o centro comercial? Em Leiria, onde toda a gente vai de carro para todo lado?

Enfim, desculpem o desabafo, mas parece que eu sou o único a pensar assim, pois parece haver unanimidade nesta decisão da camara.

Gosto do blog, e voltarei mais vezes.

De um leiriense de gema.

Boa dia a todos.

Anónimo disse...

Alguém sabe quando sai o novo PDM??

É que este já tem barbas.

Dama Pé de Cabra disse...

Dama Pé de Cabra

Antes de fazer qualquer comentário ao anónimo, quero chamar a atenção a esta preciosidade saída no DN de hoje. É um facto que o senhor em questão é louco e exibicionista suficiente para confessar algo que não fez para conseguir uns momentos de notoriedade.Na realidade, ou ele fez a bomba dois anos depois do acidente de Camarate ou então o Jornalista anda com as contas trocadas (risinhos)

Zé'detido, Zé Esteves reacende Camarate



Carlos Rodrigues Lima

José Esteves, antigo bombista ligado ao movimento de extrema-direita MDLP, convertido ao ocultismo sob o nome de "Sô Zé", foi ontem detido pela Polícia Judiciária por suspeitas dos crimes de posse de arma ilegal e ameaças a terceiros.

A operação foi desencadeada pela Direcção Central de Combate ao Banditismo, que suspeita da ligação de José Esteves ao aparecimento na agência Lusa de um manuscrito em árabe, ao depósito de restos humanos, como uma caveira, nas imediações da estação de televisão SIC. Esteves, que saiu em liberdade do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, é ainda suspeito de manipular alimentos em supermercados de forma a gerar pânico.

Outra das situações em causa na investigação diz respeito a uma tentativa de invasão da Procuradoria-Geral da República protagonizada, no passado mês de Outubro, por José Esteves, que só foi parada mediante a intervenção de elementos do corpo de segurança pessoal da PSP. Esteves disse que queria entregar ao procurador-geral documentos inéditos sobre o processo de Camarate.

E é sobre este caso que "Sô Zé" fala hoje na revista Focus. Na entrevista assume a autoria da bomba que terá deflagrado a 4 Dezembro de 1982 no avião que transportava Francisco Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa. Após várias comissões parlamentares de inquérito e um processo judicial, declarado prescrito pelo Supremo Tribunal de Justiça, Esteves surge a confirmar a tese do atentado.

Uma situação que não deixa surpreendido Ricardo Sá Fernandes, advogado que representa as vítimas da tragédia. "Sempre disse que, prescrito o crime, os autores não deixariam de assumir a sua autoria. Esta confissão de José Esteves tem enorme importância porque foi feita pela primeira vez", disse o advogado.

Dama Pé de Cabra disse...

Centro Comercial,

Na minha modesta opinião o Centro Comercial era dispensável, em todo o caso e partindo do princípio que temos que levar com ele, o meu lugar de eleição seria no local onde se festeja a semana académica...boa localização de frente para a EN1...o segundo sítio ideal seria o local onde se encontram os restos mortais da Proalimentar....mas claro que se adivinhava o local escolhido de à muito tempo a esta parte...elementar meu caro Watson!

Leiriense de Gema disse...

Caro(a)?
Dama Pé de Cabra

Em relação ao Centro Comercial, até percebo a sua lógica ao preferir a localização junto à EN1. Mas penso que isso teria "custos" acrescidos em termos de segurança e tráfego naquela zona da EN1. Basta ver a filas que se formam para o Continente, principalmente nesta época natalicia. Não consigo é entender a preferencia em segundo lugar da localização Proalimentar. A localização "Ceramica do Liz" parece-me ter melhores acessibilidades e tinha a vantagem de retirar uma fonte poluente da zona baixa da cidade. (Basta um dia sem vento ir aos Marrazes junto à Matilde Noca para perceber o que eu estou a dizer).

Quanto à localização estádio, eu gostava era de ouvir a verdade desta opção, sem estar disfarçada que "é o melhor para os comerciantes tradicionais, etc, etc".
Não é por o centro comercial estar mais perto do centro que eles vão vender mais. Eu pelo menos não acredito.

O Anonimo "Leiriense de Gema".

Dama Pé de Cabra disse...

Mas é claro que não....vão pensar é a vender menos...os Centros Comerciais são a pior invenção do século passado...quem viu um, viu todos....no caso trata-se de uma saída "airosa" para as burradas feitas com o estádio, há dinheirinho em jogo e a Câmara está com uma mão à frente e outra atrás

Menchevique disse...

Acho piada à profícua inusitude de se misturar forma com conteúdo, num baralha e dá de novo.

Por incrível que pareça a invenção dos centros comercias, enquanto aglomerado de oferta de diferentes produtos, é uma invenção mediterrânea e escorreita das tradições árabes, aliás ainda hoje testemunhada nos famosos mercados de Marrocos, a versão massificada é uma evolução civilizacional dos povos ocidentais, os mesmos que rejeitam a colher de pau em madeira, fazem vinho em aço inox e entram em delírio quando são violadas as regras da HCCP, ou qualquer outra norma de Higiene, Saúde e Segurança.

A localização, é tão indiferente como a anacrónica defesa do comércio tradicional, como se esse se salva-se por decreto e não por elevados padrões de qualidade. Quem pretende prestar um serviço às pessoas, perto das pessoas, como o são exemplo todo o pequeno comércio tradicional que sobrevive nas grandes metrópoles, porque no essencial, estão ao pé dos bairros, onde elas vivem, oferecendo qualidade de uma forma distinta.

Como é apanágio da Santa Coerência de alguns complexados de nuances intelectuais, primeiro à que responder à pergunta se os centros comerciais são úteis às pessoas, depois é uma questão urbanística e regras de bom funcionamento de uma cidade respeitando o primado de não agredir esteticamente a cidade e não contribuir para caóticas acessibilidades/mobilidades no/ao espaço urbano.

Venha o que vier fique onde ficar, de preferência no estádio, onde já está prevista massificação e onde a estupidificação já é moda.

Se não concordar, recorra ao Esteves, ao Avelino ou então ao Cónego Melo…

Tronba Rija disse...

CONTRADIÇÕES

Afinal em que ficamos dignissimo sr. redfish?... por um lado afirma que existiu suicidio no que concerne às ditas, por outro afirma que lhes cortaram as raízes. Sendo assim, foi um assassínio.Resta saber se foi por premeditação ou se por nigligencia.Todavia, eu, afirmarei que foi CRIME!
O intolerável Tromba Rija

Cabrinha Confusa disse...

AhAhAh BRINCALHÃO

Complexados de nuances intelectuais? essa é boa! nós que usamos o blog para conversar informalmente sobre tudo o que nos vem à cabeça, de repente somos metralhados com um discurso tipo século XIX com expressões como "profícua inusitude" e nós é que temos nunances intelectuais? (risinhos)comt anto floreado duvido que o próprio autor não se perca.....
Como sou ateia e não acredito na Santa Coerência acho que mais Centros Comerciais não são precisos, até porque grande parte dos pequenos centros comerciais de Leiria estão completamente às moscas....quanto ao parágrafo final devo ser muito básica para lhe entender o sentido

Dama Pé de Orelha disse...

Nesse caso, Tromba Rija, diria mais que se tratou de eutanásia....como era impossível suicidarem-se, recorreram a terceiros para as despachar, perfeitamente compreensível porque nos últimos tempos com tanto atentado ao bom gosto vinham a definhar aos poucos...rodeadas de pequenos e reles arbustos adoptaram a máxima de se não os podes vencer...junta-te a eles...diga-se de passagem que se trata de uma máxima muito utilizada na política...estou certa que concordas comigo

Tromba Rija disse...

Nunca tive mais de acordo...a dama de orelha(???)é muito atenta e venenosa mas,lá terei que lhe dar espaço (razão) ao seu veneno.

Cónego Mello disse...

Venho por este meio comunicar V. Exas., que estou muito desagradado com a evocação negativa do meu nome no V/ Blogue. Não pertenci a nenhum Grupo Paramilitar de Direita nem sequer patrocinei ou apoiei acções de combate contra essa cambada de comunistas e extremistas de esquerda, não é que o Padre Maximiano ou a Professora Maria de Lurdes não tenham merecido morrer no inferno, mas eu não tenho nada a ver com isso.

Relembro V. Exas que vai ser erguida uma estátua em meu nome, pois sou um exemplar católico, democrata e um humilde servo do povo e de deus.

Por Favor não me misturrem com o Sr. de Marco de Canavezes nem com os Srs. de Amarante.

Cónego Mello

Anónimo disse...

As malandras das 'árvores centenárias' que se suicidaram!...
Não dei por obras no subsolo que tivessem eventualmente cortado as ditas raízes, pelo que está afastada a hipótese de 'assassínio'...
Para dizer mal não há como algumas pessoas que se dizem de Leiria (ou em Leiria, que é o mesmo).
Gostam tanto de dizer mal que nem lhes passa pela cabeça que as árvores, sendo organismos VIVOS, têm um tempo de existência limitado: nascem, crescem, vivem e morrem. Das mais variadas maneiras, aliás. Até em resultado de uns ventos mais fortes as encontrarem, fruto da idade, mais fracas.
Também gosto do comentário da 'dama pé de cabra' sobre a melhoria do Rossio... verde, naquela zona, só me lembro de alguns automóveis. Agora, ao menos, vê-se a calçada e pode-se pisá-la sem ser atropelado!
Enfim...

Anónimo disse...

Que giro! Temos então por aqui alguns 'agentes' dos promotores imobiliários que queiram construir três centros comerciais em Leiria. Estes defensores da livre iniciativa, como são anónimos (como eu), até podem ser os mesmos que defendem a intervenção pública noutros locais...
E temos que não goste de centros comerciais...
E temos quem diga que Leiria tinha uma zona desportiva... eu, do que me lembro naquele sítio, só tenho ideia de carros estacionados! E até percebo o autor do comentário: ele deve ser um dos que 'vai de carro para todo o lado' e nem sequer aceita pagar por isso.
Mas é (quase) tudo gente 'politicamente correcta', sempre com a defesa do 'comércio tradicional' na ponta da língua! É pena que em Leiria 'comércio tradicional' seja significado de lojas escuras e mais velhas que o Castelo
O 'Menchevique', aliás, explicou isto muito melhor. Só não vê quem não quer

Anónimo disse...

Sr anónimo:

Que giro.!!! Eu sou um dos anónimos que acha que a construção de um Centro Comercial deve ser de iniciativa privada. Por uma questão de principio, de livre iniciativa. Por questões de mercado. Ninguém falou em aprovar 3 centros comerciais, sr Anónimo (como eu). Agora "agentes" só conheço alguns da PSP, e o unico promotor imobiàrio que conheço foi o que vendeu a casa.
Quanto à zona desportiva deixe-me avivar-lhe a memória. Antigamente existiam nesse local 2 campos de futebol, uma priscina, um pavilhão gimnodesportivo, e um pequeno circuito de manutenção. actualmente que eu saiba, apenas 1 estádio de futebol e as piscinas. Acho também estranho que se tenha dito que naquele local não cabia um pavilhão multiusos e agora já caiba um mega centro comercial.

Comercio tradicional? Deixem de gastar nos BMW e Mercedes e invitam no seu negócio. Assim talvez lá vão. Eu pessoalmente gosto de Centros Comerciais e de algum comercio, desde que bem gerido com uma oferta qualificada na sua àrea.

Como sou Leiriense, sim, vou de carro para todo lado e não gosto de pagar por isso. Aceito pagar em alguns parques por uma questão de comodidade, mas noutros é um roubo descarado. De qualquer modo, acha que Leiria está assim tão bem servida de transportes para se poder dizer que existem alternativas aos automóveis?

O Sr tem filhos para levar à Escola que não tem transportes publicos? Tem tempo para se deslocar a pé de um lado para o outro. É que essas coisas são muito bonitas quando se fala de ecologia, racionalização, etc, etc, mas e depois no dia a dia, faz-se o que se apregoa?

Cumps

De um Leiriense comodista.

Anónimo disse...

Recebi recentemente um mail em coloridas e garrafais letras onde se denunciava um hipotetico e pouco provavel escandalo.

Versava a mensagem sobre o custo que teve o vereador Sá Fernandes para a Autarquia lisboeta: 20 000 Euros gastos com 11 assessores.

Trazia a mensagem UMA LISTA COM O NOME COMPLETO DE CADA ASSESSSOR O SEU VENCIMENTO E O TIPO DE CONTRATO do referido vereador, denotando conhecimento sobre questões proprias do funcionamento interno da
autarquia. Este facto já foi noticiado se bem que de forma mais completa.

Pelo detalhe da informação suponho que o mail tenha partido do interior da referida autarquia ou de alguém com muito boas relações lá dentro.

O teor de baixixissima politica e de fedorenta e imundissima campanha motivou-me a este alerta. Só pode ser campanha da Bragaparques e de quem sempre a apoiou. É evidente o ataque, em plena campanha eleitoral, contra quem não deixou passar as negociatas na Câmara e a colocou em causa a forma de agir da Bragaparques a nível nacional.

Pelo que sei, o gabinete do Sá Fernandes, a par do da Mª José Nogueira Pinto, era o que tinha menos pessoas. De facto, havia 3 assessores a tempo inteiro e 6 que colaboravam nas áreas jurídica, do urbanismo, etc, a meio tempo. A partir do momento em que o Sá Fernandes renunciou, todos os seus contratos cessaram. Porque razão não divulgam esses senhores a composição dos gabinetes do Carmona/PSD, do PS e do PCP, bem como a actual situação contratual dessas pessoas?

O Sá Fernandes trabalhou muito, sem receber um tostão, e pôs a nu a corrupção dentro da Câmara, coisa que nenhum dos outros que lá tem estado fez ao longo de 30 anos! Pelo contrário, eram geralmente coniventes para a distribuição de lugares nas empresas municipais e para colocarem centenas de militantes nos quadros da Câmara.

Pela indignação que me causou, de imediato apaguei o mail pelo que não retenho a caixa do autor original da mensagem e não copiei para aqui para poderem comprovar o conteúdo.

Fica aqui o alerta e peço-vos que o divulgem.

Cumprimentos
Luis Cabrita