sexta-feira, janeiro 30, 2009

Aqui há 30 anos que nem as moscas mudam

Olá! Após algum tempo de ausência, cá estamos. Esta paragem permitiu resgatar algum ânimo e foi como uma dose de vitamina para continuar blogando. Serviu para repensar este espaço e tentar melhorar o espaço, procurar uma linha, encontrar um fio condutor paratudo isto.
Confesso que falhei. Não descobri a pólvora nem o caminho mais rápido para o que quer que seja, o que confesso não me deixou deprimido. Na verdade, descansei. Eu. O mundo não.
Boa notícia: estamos vivos! Má notícia: ...bem, qual delas? Boa notícia: Vamos à luta!
Temos muito por onde pegar. Haja vontade!
Comecemos pela nossa casa. Quase 15 anos de Damascenismo e Leiria não passa da cepa torta.
Pergunta: Nestes anos que marca relevante deixa este(s) executivo(s)? Hã? Pense bem antes de responder. O estádio? É verdade! Vai marcar Leiria por muitos e infelizes anos. Um catramono colorido, desenquadrado do que o rodeia, um problema económico para presentes e vindouros, sem solução à vista, um sorvedouro de dinheiros que tanta falta têm feito para outras áreas.
O Miguel Franco, mais um pequeno monstro sem proveito. Vale-lhe, contudo ter aquilo que o
estádio não tem. Não ofende a paisagem, é até um imóvel bem enquadrado, bonito, etc. Contudo,
para que serve? Vítima de uma falta de aproveitamento e planeamento está totalmente desaproveitado, não fora alguns bons espectáculos que animam a sala-teatro de quando em quando. Tudo o resto é demasiado mau para ser verdade. Um espaço morto, sem proveito, uma pena. Agora que o aborto que queriam fazer ( o abominável Fórum Leiria) abortou, pelo menos não veremos tão depressa mais descaracterizada a nossa cidade. Já se fez muito disparate, como por exemplo, numa rotunda permitirem um Mc Donald, duas bombas de Gasolina, um hotel nas proximidades de uma delas, é espantoso, o bom gosto urbanístico, o apurado sentido técnico revelado quanto à circulação automóvel na zona e o bom senso revelado quanto a questões tão simples como a de insistirem em autorizar bombas de gasolina em áreas residenciais, Leiria nisso é espestacular, mas que deve ao menos servir de exemplo para os vindouros, de como o dinheiro se sobrepõe à segurança, à qualidade de vida, ao bom gosto.
Fiquemos hoje por aqui. Amanhã, há mais.

7 comentários:

anarcabe disse...

Vem aparecido!
Bom, a bem da verdade não sei se é melhor decidir mal, ou não haver decisão nenhuma, que é o que acontece na Marinha Grande, grande de incompetência, grande e "estalinistica",um cambada de neoliberais apelidados de comunistas.
abraço

Fábio Salgado disse...

Iei!
De volta e ainda em cuecas!
saravá mosca maldita!

Caramelo de Badajoz disse...

Posso acrescentar que já que temos de levar com o estádio é uma pena que o centro comercial não tenha avançado. É uma pena ver a ruína em que aquilo se transformou..com o centro comercial sempre se dava emprego a mais algumas pessoas e se animava a cidade para além da herois de angola, cheia de lojas caríssimas e desenquadradas da realidade em que se entramos somos imediatamente assaltados por uma quantdade de vendedores que não nos largam da mão. Leiria tem dimensão sufucunete para ter um grande centro comercial!

Caramelo de Badajoz disse...

O Miguel Franco passa o melhor cinema de Leiria e a preços abaixo das outras salas. O espaço tem tudo para dar certo se não dá a culpa é dos leirienses!

Leiria em Cuecas disse...

Amigo Caramelo, não posso concordar consigo. Um erro não pode ser remediado com outro maior.
Era ter um esgamartilhão sorvedor de toda a população dos arredores para o centro da cidade, mais os seus belos carrinhos. Veja o que seria em pouco espaço mais uns milhares de popós a poluir, a baralhar trânsito, etc. Novos empregos? Só na construção e seriam temporários. Melhor que nada, dirão. Mas...porque desistiu a Lena?
Pense agora no comércio de rua que fecharia? Lá iam empregos no comèrcio, já tão depauperado pela crise, por água, ou melhor por esgamartilhão abaixo.
Quanto ao Miguel Franco é verdade que o cinema tem funcionado, com alguma qualidade...mas e oresto senhor? Tanto espaço desperdiçado, dá dó!

Caramelo de Badajoz disse...

Essa atitude é absolutamente retrógada. Daria mais trabaho na construção civil e daria mais trabalho no comércio (perto de 400 lojas a prcisar de funcionários). O comércio da Herois de Angola e dos arredores da CGD é para o leiriense de meia idade que gosta de gastar muito dinheiro com a roupa e mostrar que usa a marca X ou Y. Esses nunda deixatrão de comprar nessas lojas! os jovens por seu lado passarão a ter alguns centros comerciais com lojas a preços módicos e grande cadeias que conseguem fazer preços mais baixos. Se até as Caldas da Rainha já tem um Centro Comercial justifica-se que Leiria não tenha? se Aveiro tem uns 3 ou 4 centros comerciais que nunca arrombaram com o comércio tradicional de onde lhe vem essas ideias retrógadas senhor leiria em Ceroulas?

Leiria em Cuecas disse...

O caramelo torna-se impertinente!

O meu bom gosto e educação não me deixam outra hipótese senão mandá-lo para o centro comercial mais próximo, onde tudo é oferecido aos jovens, como é sempre comprovado pelos pais que os encaminham. Vá e venha, mas mais comedido, pois para mim, que compro nas ruas de Leiria é mau ter crises de meia idade.