quinta-feira, outubro 28, 2010

Suicide-se alegremente: vote em Cavaco Silva



Mais uma vez, o senhor Professor, qual deles?perguntam e com razão pois neste país há mais profes que juízo, assim de cor o prof Jesualdo, o prof Carlos Queiroz, o prof Marcelo, mas este é o prof dos profes o senhor presidente de todos os profes de Portugal e já agora dos alunos também, e das mães e dos pais e das namoradas dos alunos, enfim dos tugas todos, mesmo dos que não o queriam, tem de ser assim, é a democracia, não, é a crise, diz-me o meu amigo Rob que de dinheiros percebe muito, embora tenha pouco, por isso é que ele sabe todos os truques para o esticar, fazer render, e ele diz que é a crise, não temos dinheiro para mais e este 'tava em saldo, mas eu acho que isto não é assim, que isto é mesmo democracia e ontem provou-se que eu tenho razão, pois o senhor juntou um grupo de amigos no calhau que está ali ao pé do Mosteiro dos Jerónimos e com televisões, rádios e jornais de ouvido atento e postura solidária, esteve 15 minutinhos a dizer bem dele próprio e sem corar, e isto é que é uma democracia, se não fosse, se fosse assim como a França ou a Itália, despachavam-no logo para a terra dele que garganeiros é o que cá temos mais, ou se fosse um sitio pior, assim uma ditadura, davam-lhe com um rolo de cartazes na cabeça e...eh pá, queres ver que é por isso que ele não quer cartazes na campanha? Chama-lhe burro, hã, isso é que não é, previdente, isso sim, mas adiante, o que interessa é que ele confirmou o que o outro prof que parece que é assim tipo empregado dele, já tinha dito há uma semana e que toda a gente já sabia há mais de um ano, que vai ser candidato a presidente e os senhores e as senhoras, jornalistas incluídos não cabiam em si de contentes, até houve quem já falasse que neste novo mandato é que vai ser, isto é mesmo uma democracia avançada, ainda não foram as eleições e os gajos já o elegeram, porreiro pá, como diria o outro, que não é professor mas é engenheiro e eu até estranhei ele não estar lá para que a democracia ficasse ainda mais intensa e porreira, pá, que é assim que a gente a quer. Mas isto tudo para eu dizer que eu, que não sei porquê não fui convidado para a cerimónia, também não ia, se calhar foi por isso, mas eu, depois de o ouvir com muita atenção, coisa que ele não fazia de certeza a mim, reafirmo a minha convicção de que nem morto votava nele, isto é uma democracia e só no antigamente é que os mortos votavam, magia salazarista, e já que estamos em maré de mortes, deixo aqui a minha repulsa pela tentativa de assassínio que querem fazer ao meu país, que é pobre mas honrado embora tenha banqueiros e se tivessem metido todos no jogo e agora estamos lixados todos mas eles é que deviam ser presos e se houvesse justiça de jeito era o que acontecia, mas assim vamos correndo alegremente ( este alegremente não fica aqui muito bem neste texto, mas não tem nada a ver, certo?)para o suicídio, é assim tipo uma Eutanásia Rave Party à portuguesa com uns milhões de estarolas foliões à cavacada e eu sou muito novo para tão triste fim e além disso tenho outros caminhos para seguir.

redfish

3 comentários:

Vasco M disse...

Estar a dar por adquirido que este gajo (que muito contribuiu para o que hoje vivemos, convém não esquecer) vai ser reeleito, é deitar a toalha ao chão. Eu não acredito no "Papai Noel" mas acredito que outro ganhe

Kurcudilo disse...

Pois...
A Esquerda está a dar de barato a vitória a este cavaco.
Não vejo o Candidato do PCP com hipótese de competir contra toda a direita.

Leiria em Cuecas disse...

Caro Vasco, ninguém pode desistir, e juntando o útil ao agradável respondo ao meu irmão anfíbio, para esclarecer que nesta 1ª volta um voto em qualquer outro candidato é um voto contra o Cavaco, e se a soma desses votos for superior à cavacada toda vai haver de certeza 2ª volta e aí é que eu quero ver se se conseguem vencer preconceitos e clubites e dores de corno. Eu, que apoio o Manuel Alegre, votarei na 2ª volta no candidato anti- Cavaco que passar. Desistir, nunca! E não votar é desistir. EU cá não lhes dou cavaco.