terça-feira, agosto 29, 2006

Sem comentários

Que me dizem ao Imparcial Kofi Annan que na primeira intervenção que fez no Libano foi no sentido de incentivar o Hezbollah a entregar os militares israelitas à Cruz Vermelha?
Brilhante e demonstrando total independência! "Prova suficiente disto é o facto de que por muitos anos Israel raptou libaneses regularmente, enviando-os para prisões israelitas, incluindo prisões secretas como o famoso Campo 1391, que foi descoberto por acaso e rapidamente esquecido (e, nos EUA, os média de referência nunca sequer escreveram uma linha sobre ele). Ninguém sequer sugeriu que o Líbano, ou fosse quem fosse, tinha o direito de invadir e destruir grande parte de Israel em retaliação".
E o que me dizem ao facto de apesar do acordo efectuado(?!) Israel continuar, impunemente, a bloquear aerrea e navalmente o Libano?
-Ceroulas_

1 comentário:

Dama Pé de Cabra disse...

BUSH CORAÇÃO DE HIENA

O apoio dos EUA a Israel resulta de diversos factores, alguns já amplamente abordados e outros que vale a pena sempre recordar. Além do "ouro-negro" e de Israel ser considerada a única democracia do Médio Oriente, temos que considerar o poder do lobby pró-Israel que tem como seus maiores representantes o AIPAC e a a Conferencia dos Presidentes das Principais Organizações Judias.
O que é o AIPAC? é o comité EUA-Israel de Assuntos Públicos e é também o lobby de política estrangeira mais poderoso em Washington. os 60000 menbros que o cosntituem dsitribuem milhões de dólares no Congresso, tanto a democratas como a republicanos, além de investirem numa rede de cidadãos influentes em todo o país que podem mobilizar regularmente ao estilo da Opus Dei.
O AIPAC não é a unica organização pró-Israel que existe nos EUA. A Conferência de Presidentes das Principais Organizações Judias tem una enorme influência no poder executivo dos EUA. Característica das duas: organizações discretas, que actuam na sombra, qual "eminência parda".

Os EUA, com o apoio explicito a Israel, matam dois coelhos de uma cajadada só- a crise no Líbano anda de mãos dadas com o conflito em Gaza (envolvendo Israel e o grupo islâmico Hamas). Para Washington nada de refrear os ímpetos dos israelitas pois ele ajudam-nos a enfrequecer o "eixo do mal" integrado pelo Hezbollah, Hamas e os dois países que os apoiam, Irão e Síria.
Na história tudo se repete e as motivações continuam as mesmas...tal como nas cruzadas da Idade Média movidas pela ambição e encapotadas pela luta contra os infieis, Bush lançou uma cruzada moderna mas muito mais segura...Ricardo Coração de Leão foi um mau rei, como mau presidente é o Bush, mas de espírito aventureiro e destemido partiu à frente das suas Cruzadas, movido pela ambição, é certo, mas sempre na primeira linha. Bush por seu lado, não nos dá o prazer da estar no caminho de um qualquer homem bomba...fica no conforto da casa Branca a dirigir os destinos da sua cruzada pessoal, para no fim se ir mal comparado com o Ricardo rei que era coração de leão, só chamar-lhe coração...de hiena