sexta-feira, julho 25, 2008

SECLA E PRESIDENTE DA CAMARA



Fernando Costa disse que aconselhou os trabalhadores a seguirem o parecer do advogado deles, no entanto, expressou-lhes a sua opinião, referindo que não vê “nenhum benefício a favor deles ao não rescindirem o contrato de trabalho”. “Se a administração indemnizou cerca de 200 empregados a 50 por cento, não sendo o que está previsto na lei, é bastante razoável nos dias que correm, porque quem fecha e vai à falência nem sequer paga os ordenados e muito menos as indemnizações”, sublinhou.
Brilhante, mesmo vindo de um Presidente do PSD!
Quem devia, no minimo, defender a legalidade democrática, até apoia quem a viola e sobretudo dá-lhe o seu suporte moral!
A Secla , ex-libris das Caldas como a cerâmica Bordalo Pinheiro, encerra perante a passividade do sindicato de cerâmicos das Caldas ( que aliás até incentivou os trabalhadores a receberem menos de metade da indemnização que teriam direito), perante a passividade dos cidadãos e, pior ainda, com apoio da Camara, que deveria defender, intransigentemente,os seus municipes!
A verdade é que há cerca de dois meses e meio a própria empresa propunha a redução de cerca de 20% dos postos de trabalho, para que a mesma fosse viável; súbitamente (quando soube que poderia construir imóveis na zona onde funciona a administração e o pavilhão das vendas?) optou por alterar a posição de recuperação para o encerramento total!
E, perante isto o presidente da Camara, em vez de apoiar os trabalhadores optou pelo apoio ao patronato.....ele lá sabe porquê.

1 comentário:

victor disse...

Como é possível ser verdade esta afirmação que se segue?
É nem mais nem menos do Presidente da Câmara de Caldas da Raínha...minha nossa...este país está do avesso!
"Fernando Costa disse que aconselhou os trabalhadores a seguirem o parecer do advogado deles, no entanto, expressou-lhes a sua opinião, referindo que não vê “nenhum benefício a favor deles ao não rescindirem o contrato de trabalho”. “Se a administração indemnizou cerca de 200 empregados a 50 por cento, não sendo o que está previsto na lei, é bastante razoável nos dias que correm, porque quem fecha e vai à falência nem sequer paga os ordenados e muito menos as indemnizações”"
Muita atenção Caldenses, porque só somos enganados uma vez...