sábado, setembro 16, 2006



Esta é uma imagem que me toca profundamente, no mais profundo do meu coração de pai.

Este abnegado progenitor que mesmo em pleno exercício das suas importantes actividades diárias ainda encontra espaço para alimentar o seu rebento!

Não é para vos deixar triste, mas possivelmente, o jovem pai está em casa porque está desempregado, a mulher estará a trabalhar a dias, ou a ser explorada noutro emprego qualquer e que quando chegar a casa vai encontrar o marido com os copos, o filhote todo cagado e a casa toda desarrumada. O jantar que o faça ela se quiser!

A vida é frequentemente uma telenovela de mau gosto, mas muitas vezes a realidade ultrapassa em dramatismo a ficção mais arrojada.

Hoje o futuro aparece mais negro para quem começa a aventura de se lançar na vida! Ou se tem pais ricos, boas cunhas ou muita sorte, senão isso de emprego não passará de uma miragem, uma promessa que fizeram e que só agora se descobre que nunca tencionaram cumprir.

Em Leiria vive-se uma fase de deslumbramento perfeitamente irreal. Parece que nada se passa e no entanto, desemprego, sub-emprego, contratos a prazo, salários miseráveis, despedimentos selvagens, miséria são realidades a que por muito que se queira fugir enterrando a cabeça na areia e fingindo nada ver, vão sendo cada vez mais difíceis de escamotear por muitas estatísticas em que já ninguem acredita que nos apresentem.

Redfish

1 comentário:

dama Pé de Cabra disse...

Na melhor das hipóteses pode o dito senhor ter tido licença de maternidade- afinal hoje em dia tanto pode ser o homem com a mulher a "gozar" dessa licença...a verdade é que se espera que os homens tenham as mesmas tarefas que as mulheres- que cozinhem, limpem, tomem conta das criancinhas e esquecem-se que a tudo isso se sobrepõe o macho latino....e falo tanto de machos de direita como de esquerda, que isso da política não tem nada a ver com o facto de ser macho latino...é assim uma coisa visceral a que portugueses, espanhois e italianos não coonseguem fugir...uma espécie de karma....a verdade é que por muito que se mudem as políticas, a mudança de atitudes enraizadas profundamente na nossa sociedade é muito mais complicada...aquilo que é natural para um home nórdico, para um mediterrânico é humilhante...por isso não me venham falar de paridade quando é óbvio que em Portugal não estão criadas as condições para libertar a mulher da tarefa tripla de trabalhar, cuidar da casa e tratar dos filhos...e como o dia continua com 24 horas apenas, a tarefa promete ser dantesca....assim enquanto as mentalidades não mudarem, as mulheres vão continuar a tricotar delicadamente a sua vidinha monótona e trabalhosa à espera de melhores dias que nunca virão...